20 de dez de 2010

Lightroom – Começando pelo começo



Afe, que esse conceito de começar pelo começo é meio abstrato e bizarro; pra se ter uma ideia, este já é o quarto começo de post que rascunho. Mas agora acho que vai, hein?
- Foi.
Mas nada de afobação. Essa coisa de sair dando o pulo do gato antes de fazer alguém entender como a coisa funciona deixou de ser a minha tática desde que a mãe da Bárbara mandou um bilhetinho pra professora do primário pedindo pra mudá-la de lugar porque eu dava as respostas de todos os exercícios pra ela, que não aprendia nada e bombava nas provas. Pronto, traumatizei você o suficiente para convencê-lo de que o jeito é teorizar por hora? O post vai ficar meio mala, mas é o jeito, Brasil.

*OBS: se você nasceu nos anos 90, bombar no meu primário significava “se ferrar” e não “arrasar” como é hoje.

1] Módulos “extras” – bem, o LR se faz de fino, então tem nomes próprios pra tudo. Os módulos são o que qualquer outro programa ou sistema operacional chamaria de orelha, aba ou visualização. E eu chamei de extras porque não são quem fazem a festa.

01_modExtras

- Apresentação de slides [slideshow] dá um up no resultado daquilo que você faria no PowerPoint;
- Imprimir [print] cria folhas de contato e imprime com gerenciamento de cores;
- Web [web] serve para criar galerias web.

2] Módulo biblioteca [library], que se fosse “fototeca” já estava explicado, é responsável pela disposição, organização, comparação e classificação das suas fotos.

02_biblioteca

O LR é dividido em painéis: o superior (onde fica o nome do programa, ou a sua personalização – no caso essa minha piadinha infame em cores natalinas

 – e os links para os módulos) e o inferior (o film-strip, com miniaturas selecionáveis das fotos) são os mesmos em todos os módulos. Na biblioteca, os painéis laterais importam/exportam, mostram o caminho do arquivo (esquerda), atribuem palavras chave e metadados e ainda permitem uma revelação rápida (direita).




02_metadados
Metadados [metadata]: informações principais da foto e do que você alterou/avaliou. Não serve para o seu cliente, mas é útil pra você.

Ali no meio fica a área de conteúdo e a barra de ferramentas com os modos de exibição em grade [grid – atalho G], lupa [loupe – atalho E], comparação [compare – atalho C] e pesquisa, que eu chamo de análise [survey – atalho N], o spray/borracha de metadados, a classificação, a avaliação/rotulação e o controle de tamanho das miniaturas [thumbnails]

#FicaDica: Para ampliar a sua visualização, em todos os módulos estes painéis podem ser fechados pelas setinhas, ou ainda com os atalhos TAB (fecha os laterais), SHIFT+TAB (fecha todos); pressionando duas vezes o F ele fica em tela cheia, e com T você esconde também a barra de ferramentas. Ah! E que tal teclar L duas vezes e descobrir que ele também “apaga as luzes?” – ótimo ver as suas fotos sem interferências, né?


3] Módulo Revelação [develop] – com o atalho D, é onde você está espumando pra clicar.

03_Revelacao



03_RevEsquerdo Além das opções de zoom e copiar/colar ações de uma foto para outra, o painel esquerdo armazena predefinições [presets] de revelação, histórico [history] e instantâneos [snapshots] – a possibilidade de salvar etapas do seu histórico e reutilizá-las se necessário – vai dizer que não é um luxo? Isso nenhum outro editor de imagens faz por você.
Os instantâneos servem não só se você quiser deletar algo do seu histórico sem perder outros atos, como pra não ter que procurar movimento por movimento em que momento chegou em determinado efeito.
O painel direito é onde você quer muito começar a mexer e eu não deixo, dando uma de tia chata que só libera as rabanadas no Natal depois de todas estarem sequinhas e você de banho tomado. Então vou ser legal te deixando mexer em uma coisinha, só pra ter um gostinho (mentira é só pra você entender melhor o que eu falarei no tópico #4). Mas, antes disso, você não quer saber o que são as ferramentas entre o histograma e o básico? Anda, respira que já tá acabando.
Em ordem de aparição: corte [crop – R], remoção de manchas [spot removal – N], correção de olhos vermelhos [red eye correction – sem atalho], filtro graduado [graduated filter – M] e pincel de ajuste[adjustment brush – K]. Como todas as outras ferramentas se mostram por texto e eu acredito que, mesmo sem contato com outros editores, você seja capaz de entender o que elas querem dizer, partiu recreio experimentação?

4] Modo de Revelação Básico [basic]


04_Ba¦üsico

Porque temos que começar pelo básico, vamos combinar, e porque ele é o único menu possuidor de informações desconhecidas dos não-usuários de Lr. Tá, cor/tons de cinza, balanço de brancos, tom, exposição, brilho, contraste e saturação você já sabe o que é, então pulemos as apresentações. Aos outros, muito prazer:
-recuperação de realce [recovery]: sabe quando a luz (ou a da foto, ou a que você acabou de adicionar ali no controle de exposição) dá uma estourada num elemento, mas mesmo assim você ainda consegue ver seus traços? A recuperação te ajuda a salvar essa informação, escurecendo os realces (ou altas luzes).
- Luz de preenchimento [fill light]: não é tão desconhecida, porque acaba funcionando como o filtro de sombra [shadows/highlights] do Photoshop, ao fazer o oposto do item anterior, ou seja, clarear detalhes que ficaram perdidos na obscuridão das sombras e... ops, muito Senhor dos Anéis, deixa quieto.

04_PreenchExpo
Ferramentas distintas, resultados diferentes. Na esquerda, máximo em luz de preenchimento, na direita, máximo em exposição.
- Pretos [blacks]: a minha definição pra este é que ele aumenta o drama. Ajuda a contrastar, deixando o preto mais preto (concorrente direto do Omo?), mas também aumenta a granulação/ruído, então, take care.

04_tom
Não use o “tom automático” enquanto puder evitar – ele é um tolo, não sabe o que faz. Balanceando manualmente os ajustes de exposição, recuperação luz e pretos, o Bebê Noel fica muito mais interessante, não? A de cima é a original.
- Claridade [clarity]: sei lá porque tem esse nome. Até hoje eu não vi nada ficar mais claro ou mais escuro e sim mais detalhado ou mascarado. Talvez ele clareie/escureça os contornos? Tenso esse nome, amigo, mas é pra isso que ele serve: dar ou tirar tridimensionalidade. Levando o controle pra direita (positivo), ele detalha tudo o que tem direito na foto (ótimo pra paisagens e still), enquanto o controle para a esquerda (negativo) dá uma embaçada – dosado na medida certa, embeleza peles. Coloquei os dois no máximo, mas não usei a mesma foto porque foi triste descobrir como eu serei daqui a uns 15 anos.

04_claridadePositivo
Só porque eu sei que você estava morrendo de saudades do miojo. A original, à esquerda, a toda trabalhada na claridade positiva à direita.
04_claridadeNegativo
Claridade no máximo tapando todos os poros que a alta definição fez o favor de revelar. Não preciso dizer qual é a original, né? Pra fotos de beleza/close, melhor trabalhar a claridade com o pincel, ou corre-se o risco de transformar o olho da pessoa em um mar de leite.
- Vibração [vibrance]: ahá, tá aqui a primeira coisa que me fez gostar de Lightroom. Essa ferramentinha dá vida à sua foto. Diferente da saturação, que bota pra quebrar em qualquer elemento colorido, a vibração entende que você curte as cores como são, mas gostaria de reanimar aquelas que ficaram mais discretas (pouco saturadas). Efeito de dia feliz no parque.

04_vibSatPositivo
Vibração na do alto, saturação na de baixo. Coloquei no máximo pra você ver a diferença entre os dois, ok? Nada de exagerar ou as criancinhas que passaram mal ao ver o filme do Pokemon vão voltar a fazer a Aretuza no seu álbum.
Em contrapartida, o negativo da vibração te dá um efeito envelhecido, enquanto a saturação a transforma numa versão preguiçosa do PB.

04_vibSatNegativo
Também no máximo, vibração na do alto, saturação na de baixo.
E aqui está o exercício. Aproveite para mexer nestes controles e entender o que fazem em imagens distintas. A Vibração negativa fica particularmente linda quando a foto tem vermelhos (digo eu, não a Adobe) e tem um filtro que impede a saturação de tons mais comuns de pele (diz a Adobe, não eu).

O pulo do gato do dia é: quanto mais largo você puder deixar o painel de revelação, maior autonomia terá sobre os controles. BUT, se a sua tela não for wide e nem grande e você não estiver pensando em ganhar nenhuma rifa ou promoção do Faustão até maio, pode optar por clicar sobre o número, que ficará selecionável, e pressionar as setinhas do teclaado para cima ou para baixo. Vai demorar um tantinho mais que o mouse ou o tablet, mas funciona bem e é ótimo quando você só quer alterar um ou dois pontinhos (que podem fazer toda a diferença).

#FicaDica2: mesmo que você nunca lembre de atalho algum, faça o favor de decorar G (Grid ou grade) e D (Develop ou revelação). A sua vida será muito mais prática com elas em mente.

Pronto, já dei o seu presente de Natal. Te expliquei como a coisa funciona e ainda brindei com atalhos e dicas. Boa celebração, aproveite pra testar a vibração nos vermelhos da decoração da casa da sua tia que esconde rabanada e espere a semana que vem, torcendo pra Papai Noel ter trazido um ótimo presente pra Senhorita Lightroom aqui, que é pra eu me animar e te colocar logo em ação nesse programa. HO HO HO :D



Sobre a Autora:
Ma, Bilder Esta que vos escreve é a Ma, Bilder - carioca, fotógrafa, produtora de Moda e fã incondicional do Lightroom há 1 ano e meio, quando fez um curso que mudou sua visão sobre a própria fotografia. Fugiu do Rio pra São Paulo em 2009 em busca de um melhor mercado, mas pretende voltar pra "terrinha" assim que estiver rica, muito rica. Tentando sobreviver sob as novas regras ortográficas da Língua Portuguesa, twitta via @maBilder, e mantém seu portfolio em www.mabilder.com


Participe deixando seu comentário, dúvida ou sugestão. Lembre-se: Sua participação é muito importante para o blog e para todos os leitores que acessam o Canal Adobe Photoshop.
Receba o conteúdo completo através de Feeds ou diretamente no seu E-mail
Pin It now!

3 Comentários:

Alberth disse...

Excelente.
Um programa nem tão usado mas que é bastante útil

Jean Carlo disse...

Alberth, o Lightroom é muito utilizado por fotógrafos. Ele trabalha em conjunto com o Photoshop e arrisco a dizer que 10 entre 10 fotógrafos utilizam o aplicativo.
Ele é extremamente útil para quem trabalha com fotografia.

abraços

Sandro Rodrigues da Silva disse...

Pox, valeu muito pelas dicas. Acabo de instalar o LR e ando meio perdido, mas vou começando a entender como funciona.
Obrigado.
Sandro

Postar um comentário

- Todos os comentários passam pelo sistema de moderação antes de serem exibidos.
- Comente com o OpenID ou com o nome/url do Blog, assim, poderei retribuir a visita.
- Se você escreveu ou encontrou um artigo interessante e que seja relacionado ao post, o link para esse artigo no comentário é bem vindo.
- Pedidos de parcerias, somente por e-mail.
- Dúvidas que não forem relacionadas ao post, somente por e-mail.
- Comentários que não tenham nada a ver com o post e com links definidos como SPAM serão rejeitados IMEDIATAMENTE.
- Se você deseja divulgar seu site ou blog, entre em contato por e-mail solicitando um orçamento.


Agradecemos a visita e o seu comentário no Canal Adobe Photoshop

  ©Canal Adobe Photoshop - 2008 - 2016 - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo